Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Leitorado: Interventor da Capaf está com boa vontade

Sobre a postagem Seminário AEBA e AABA:
"Presidente Agildo, você foi eleito para defender os aposentados e os pensionistas. Promoção na Academia Paraense de Letras nada tem a ver com isso. Espero que realmente vocês apresentem um plano de recuperação da Capaf baseado em estudo reais e assinado por um profissional atuarial de respeito nacional, além de que as entidades deverão ter respaldo político para conseguir as verbas necessárias em Brasília, no Dest e no Ministério da Fazenda após aprovação do plano pelo Banco e pela Previc. Vou aguardar a conclusao do seminário com muita espectativa.
O tempo urge pois se o Interventor sentir que vocês - entidades - não estão jogando sério mas só atrapalhando, liquida a Capaf. Ele tem a Lei ao seu lado, veio com boa vontade e está demonstrando isso, mas não vai aceitar chacotas partam de onde partir, até de membro da Academia Paraense de Letras. Um abraço do José Maria Oliveira da Paz."

Pra fortalecer o SIM-77

Em reunião (foto) na manhã de hoje (30), a Associação Comercial e Empresarial de Santarem, CDL, SINDILOJAS, SIRSAN E CACEOP, entendendo o momento histórico que passa nossa cidade e região, decidiram por unanimidade, orientar e facultar a todo o comércio de Santarem para que suspendam suas atividades comerciais as 14:00h de hoje liberando seus funcionários para que participem das atividades que serão realizadas em prol da criação do Estado do Tapajos.

Romário sugere que Ronaldo peça investigação no COL

O deputado federal Romário (PSB), sugeriu nesta terça-feira que Ronaldo (charge), seu ex-colega de ataque na seleção brasileira, providencie uma ampla investigação no COL (Comitê Organizador Local) da Copa 2014.

Ronaldo foi convidado por Ricardo Teixeira para tomar a frente da organização da Copa, mas ainda não comunicou oficialmente se aceitará o convite. Seja como for, Romário se adiantou, e soltou comunicado alertando para eventuais "falcatruas e roubos" no COL. (O Dia Online)

O convite a Ronaldo explicita a posição antagônica dos dois ex-artilheiros em relação à Copa 2014. Enquanto o "Fenômeno" se mostra aliado de Ricardo Teixeira, o "Baixinho" se firma como principal adversário do cartola (e da organização da Copa) na Câmara dos Deputados. - “Acredito que seria uma boa opção Ronaldo pedir, através do Ministério Público, uma investigação na gestão anterior do COL, para que ele se resguardasse de falcatruas e roubos que podem ter acontecido, e a culpa não recaia sobre ele. Isso é o que eu faria se estivesse no lugar dele, mas respeito suas decisões”, afirmou comunicado distribuído pelo gabinete do deputado federal.

Romário, no entanto, defendeu a escolha de Ronaldo para gerenciar o COL. “Ele mais que ninguém só tem a perder com qualquer coisa negativa que venha a ocorrer durante sua gestão. Espero que Ronaldo não venha a escorregar nas cascas de banana que corruptos podem colocar para ele. Consciente de tudo isso, tenho certeza de que ele fará uma grande gestão.”

O "Baixinho" também se ofereceu para ajudar o "Fenômeno". “Tenho certeza de que Ronaldo não precisará de mim para nada, mas se algum dia ele quiser bater um papo, trocar uma ideia, tanto como ex-companheiros de campo que fomos, como agora como políticos - porque a presidência do COL não deixa de ser um cargo político - estarei a disposição. Ele terá um

JN No Ar faz reportagem em Santarém

A diretora do Sistema Tapajós de Comunicação, Vânia Pereira Maia e jornalistas da TV Tapajós, recepcionaram a repórter Cristina Serra e demais componentes da equipe do JN no Ar.
No aeroporto de Santarém por ocasião da chegada da equipe da Globo, muitas pessoas exibiam cartazes de apoio ao SIM-77, ou seja, pela divisão do Pará.

A equipe de jornalismo do JN NO AR, à frente a repórter Cristina Serra, desde ontem (29) está em Santarém para fazer uma reportagem sobre o Plebiscito que ocorrerá no dia 11 de dezembro. A matéria será exibina no Jornal Nacional - Rede Globo, na noite desta quarta-feira. (Fonte e fotos: Site No Tapajós)

Bispo de Santarém é transferido para Porto Velho

O papa Bento XVI acolheu nesta quarta-feira, 30 de novembro, o pedido de renúncia do arcebispo de Porto Velho (RO), dom Moacyr Grechi, por razão de idade, 75 anos, em conformidade com o cânon 401.1 do Código de Direito Canônico. Foi nomeado para sucedê-lo, dom Esmeraldo Barreto de Farias (foto), 62, que foi transferido da diocese de Santarém (PA).

Dom Esmeraldo - O novo arcebispo de Porto Velho (RO) nasceu no dia 4 de julho de 1949. Ele é natural de Santo Antônio de Jesus (BA). Foi ordenado presbítero em 9 de janeiro de 1977 em sua cidade natal. Sua nomeação episcopal aconteceu em 22 de março de 2000. Estava na diocese de Santarém (PA) desde 2007. (Fonte: Site No Tapajós)

Juízes de todo o país ‘cruzam os braços’ nesta quarta

Juízes federais e trabalhistas anunciam para esta quarta (30) paralisação de um dia. Cruzam os braços sob críticas da cúpula do Judiciário e da OAB.

Reivindicam sobretudo reajuste salarial. Alegam que, considerando-se a evolução da inflação, seus contracheques estão defesados em pelo menos 22%.

As perdas eram maiores –32% nos últimos seis anos. Mas a magistratura foi reajustada em quase 9% no ano de 2009.

Os vencimentos dos juízes não podem ser tratados isoladamente. Eles integram uma carreira cuja folha está limitada pelo pé-direito do STF.

Situados no teto da cadeia remuneratória do serviço público, os ministros do STF recebem R$ 26,7 mil. Entre os juízes, o salário mais alto é de R$ 24,1 mil.

Os ministros do Supremo reivindicam reajuste de 14,79%. Algo que elevaria seus contracheques para R$ 30,6 mil.

Com isso, a remuneração dos juízes no topo da carreira seria içada para patamares pouco acima dos R$ 27,6 mil.

O problema é que o pedido de aumento do STF veio acompanhado de uma pauta que inclui aumento de 56% para os servidores do Judiciário.

O Ministério do Planejamento foi à calculadora. Estimou que, levando-se em conta o efeito cascata, o tônico salarial da Justiça custaria ao Tesouro R$ 7,7 bilhões.

A cifra corresponde a quase metade do que o governo espera destinar ao Bolsa Família em 2012. Dilma Rousseff torceu o nariz. E contrapôs as togas aos pobres.

Disse: atendendo ao Judiciário, o Executivo "prejudicaria a efetiva implementação de políticas essenciais, como as de saúde, educação e redução da miséria."

Caberá ao Legislativo, às voltas com a análise do Orçamento da União para 2012, decidir se inclui nas previsões de gastos a verba reivindicada pelo Judiciário.

É contra esse pano de fundo impregnado de veneno que os juízes realizam a paralisação de um dia. Além de salário, pedem coisas como melhoria das condições de trabalho e segurança.

Talvez não obtenham o que desejam. E correm o risco de irritar a clientela. A paralisação levará ao cancelamento de milhares de audiências em todo país.

Apenas na Justiça do Trabalho, estima-se que terão de ser reagendadas cerca de 20 mil audiências.

Brasil tem 21 milhões de Marias e Josés

No Brasil, segundo pesquisa feita pela proScore, empresa de gerenciamento de informações e análise de crédito, a partir de um catálogo com aproximadamente 165 milhões de Cadastros de Pessoa Física (CPFs). "Em 2010, existiam 190 milhões de CPFs no Brasil, mas nossa base de dados reúne só aqueles que estão ativos no comércio", afirma Mellissa Penteado, diretora de Marketing da proScore.

O nome mais comum no Brasil é Maria - são 13.356.965, indica a pesquisa. Em segundo lugar está José, com 7.781.515, pouco mais da metade. "Todos os nomes mais usados têm origem bíblica", destaca Mellissa. A pesquisa considerou apenas o primeiro nome, desprezando nomes compostos.

No claudiohumberto.com.br

Doendo na carne.
Com câncer na garganta, muitas dores e sem voz, a prima de Lula, Ana Silva (72), aguarda cirurgia num hospital público em Santo André (SP).
Greve contra quem?
Juízes do Trabalho querem segurança para trabalhar, plano de saúde, política previdenciária e recomposição salarial. Eles têm razão, mas a perdem quando cruzam os braços contra aqueles que não têm culpa de nada: o trabalhador, cujos impostos pagam inclusive seus salários.

Travessa Jerônimo Rodrigues volta a se chamar Apinagés

Foi aprovado, por unanimidade, na Câmara Municipal de Belém, ontem (29), o projeto de Lei que recoloca o nome 'Apinagés' na Travessa então nomeada como Jerônimo Rodrigues.

O nome da rua havia sido modificado para atender uma solicitação de um vereador, que queria homenagear um empresário patriarca de uma rede de supermercados de Belém. A ação foi motivo de muita discussão e revolta dos moradores da rua, que não aceitaram a mudança.

Foram mais de cinco meses mobilizando os moradores do bairro, colhendo assinaturas e divulgando a importância de que a identidade do bairro do Jurunas fosse mantida.

O objetivo dos moradores era de que fosse resgatada a identidade cultural e histórica do bairro, respeitando a homenagem feita a tribo Apinayé. - 'É uma glória, é muito importante manter o nome Apinagés, pois é uma identidade urbanística. O nome da rua na verdade está dentro de um contexto histórico que homenageia os homens da nossa terra. Foi uma guerra e nós vencemos', disse Graça Brasil, moradora do bairro do Jurunas há 20 anos. (Amazônia)

FMI passando o chapéu

Quem conta é Giba Um:
Quem diria: chega amanhã ao Brasil a gerente-geral do FMI, Christine Lagarde, depois de passar pela Rússia e China. Será recebida pela presidente Dilma Rousseff e conversará com o ministro Guido Mantega, da Fazenda e com Alexandre Tombini, do Banco Central. Lagarde vem atrás de dinheiro para capitalizar o FMI, para que possa ampliar o socorro aos países europeus. Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, até topam ajudar, mas colocam como condição o aumento da cota de seus países no Fundo. E os países ricos resistem a dar maior participação no processo de decisão do FMI aos países emergentes.
E mais...
Olho no cigarro – 1
Fumar faz mal à saúde e custa caro aos cofres públicos. Ninguém discorda: só que nove entre dez não fumantes também são unânimes em afirmar que a péssima qualidade do atendimento ao brasileiro na rede da saúde pública deve-se aos fumantes, é um exagero – e acima de tudo, uma injustiça. Pessoas que morrem, sem atendimento, às portas e nos corredores de hospitais públicos em todo o país, não formam um quadro resultante diretamente das despesas dadas ao governo pelos fumantes.
Olho no cigarro – 2
O médico e escritor Drauzio Varella tem dado sua colaboração na guerra contra o fumo no Fantástico, se bem que com exageros, a partir de seu tom de voz e um ar de sabe tudo. No mundo, cada país tem sua forma de lidar com o hábito de fumar. Casos mais graves estão na Ásia. Na China, o governo cruza os braços e no Japão, o Estado controla 50% da indústria do cigarro para equilibrar receitas. No Butão, que inventou o índice da felicidade, o comercio de cigarros é proibido, a importação limitada e há lei de prisão de três anos para os faltosos.
Carnaval à paulista
O governador do Rio, Sérgio Cabral, também foi visitar Lula no apartamento de São Bernardo e encontrou o ex-chefe do Governo com muita disposição. Conversaram sobre eleições e Cabral ia puxar o assunto dos royalties do petróleo, quando Lula cortou: “Você tem de conversar com a Dilma. E faca no peito com ela, não dá certo”. Depois, Cabral garantiu que, no carnaval do ano que vem, quando a Gaviões da Fiel desfilar com enredo sobre a vida de Lula, em São Paulo, ele estará em outro carro homenageando o amigo ex-presidente.

Recados para Orkut

Pará no topo da lista do vandalismo

Pará no topo da lista do vandalismo (Foto: Everaldo Nascimento)

Quando se trata de cuidar do patrimônio coletivo, o cidadão paraense não é um exemplo de zelo. De acordo com a operadora de telefonia Oi, nos dez primeiros meses de 2011, foram danificados, por atos de vandalismo, em média 28% dos cerca de 30 mil orelhões instalados nos 144 municípios do Estado. No mesmo período, a companhia realizou a substituição de cerca de 300 campânulas dos telefones públicos por mês. Ainda assim, falta de manutenção e precariedade do serviço, que raramente funciona, são as principais reclamações dos consumidores, que não desconsideram a ação de vândalos, mas também exigem melhorias no serviço por parte da operadora.

Um levantamento realizado pelo site de notícias Uol apontou o Pará como o Estado brasileiro que mais destrói telefones públicos por atos de vandalismo no Brasil, seguido de São Paulo e Acre. Os índices foram apurados junto à Oi e à Telefônica, principais operadoras de telefonia fixa nas 27 unidades federativas do país e que respondem juntas por 67,3% do setor.

CRIME - Destruir orelhão consiste em crime contra o patrimônio público, previsto no Artigo 163 do Código Penal. De acordo com a norma, destruir patrimônio da União, Estado, Município ou de empresa concessionária de serviços públicos (neste caso a telefonia) ou de sociedade de economia mista, é crime.

Quem for pego destruindo orelhões é autuado em flagrante, processado e, em caso de condenação, poderá ser condenado a pena de um a seis meses de detenção ou pagamento de multa.

As regras da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) estabelecem que, após a comunicação da depredação, a empresa tem até oito horas para efetuar os reparos no orelhão. (Diário do Pará -Foto: Everaldo Nascimento)

Clonando Pensamento

"Quem vende muito abaixo do preço de mercado, é contrabando, roubo ou é golpe" (Flávia Leal, delegada da Divisão de Investigações e Operações Especiais- Dioe)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Clube do Remo é campeão sub-20 de 2011

Leão Azul paraense venceu na tarde de hoje (29) a equipe do Castanhal por 3x1 e sagrou-se campeão do futebol amador, categoria sub-20. Demorou, mas a sofrida torcida azulina teve uma alegriazinha, voltou a sorrir com esta conquista.

Seminário AEBA e AABA

Por João Almeida:

Muito apropriado o tema do Seminário que a AEBA e AABA vão realizar: CAPAF - RUMOS DA INTERVENÇÂO.

Segundo o artigo 46 da Lei Complementar nº 109, de 29 de maio de 2001, a intervenção conduz a apenas dois rumos:

1°) aprovação de PLANO DE RECUPERAÇÃO da CAPAF; ou

2º) decretação de sua LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL.

Ora, se a AEBA, AABA e Sindicato do Maranhão foram contrários ao PLANO DE RECUPERAÇÃO proposto pelo Banco da Amazônia, quem garante que o Banco vai aceitar o plano que está sendo gestado pelos “defensores”?

Será que a AEBA, AABA e SEEB-MA terão força política para garantir a aprovação desse novo plano? Quanto tempo os órgãos superiores em Brasília levarão para aprovar esse novo plano? Até lá, os benefícios do Plano BD ficarão assegurados por uma frágil decisão judicial de primeira instância, que corre o risco de ser revogada a qualquer tempo? Será que o Sr. Ministro da Previdência “vai ajudar”?

A LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL representa a extinção, a morte da CAPAF. Com isso, todas as ações judiciais contra a CAPAF deixarão de existir. A briga dos participantes e assistidos passará a ser contra o Banco (leia-se União), que é litisconsorte na maioria dessas ações.

Será que todos os bancreveanos vão ter que entrar no fim da fila, ao lado dos aposentados e pensionistas da AERUS (VARIG), que há décadas vêm brigando contra a União para receber seus benefícios?

O que mais surpreende nesse Seminário é a escolha dos palestrantes e debatedores. Seria cômico, se não fosse trágico, senão vejamos:

- o Sr. Miguel Carneiro é o patrono de grande parte das ações judiciais contra a CAPAF. Para esse cidadão, quanto pior a situação da CAPAF, melhor para ele. Com base nisso, dá para imaginar o teor de sua apresentação.

- idem o Sr. Agildo Monteiro, cujo ego e empáfia não cabem no imaculado terno de linho branco que costuma vestir. E ele certamente vai usá-lo no Seminário para vender mais alguns exemplares de seu mais recente “best seller”. Trata-se de um livro que o leitor não pode simplesmente guardar numa estante qualquer; pelo contrário, pode e deve arremessá-lo, com toda força, para longe se si.

- o Sr. Roberto Duarte vai apresentar mais um de seus incontáveis projetos de recuperação da CAPAF. Desconhecemos se esse cidadão possui formação superior em ciências atuariais e registro no Instituto Brasileiro de Atuária, que o credenciaria a desenvolver um plano de recuperação técnica e atuarialmente abalizado. Aqui cabe um alerta: cuidado com os pseudo-atuários; afinal, o exercício ilegal da profissão é crime. Não devemos nos esquecer que o Sr. Roberto Duarte já cometeu a asneira de afirmar que o Plano BD não tem caráter mutualista!

É sabido que um estudo atuarial é realizado a partir de premissas, que são hipóteses consideradas para justificar os resultados dos cálculos e dados. Esses elementos serão a base do modelo matemático utilizado no desenvolvimento do estudo. Espero que o Sr. Duarte, não tenha usado o modelo do “achismo” e desenvolvido o seu plano de recuperação da CAPAF “nas coxas”.

- os Srs. Madison Paz e Francisco Sidou abordarão os fatos circunstanciais e administrativos que deram origem à intervenção. Esses dois, por muitos e muitos anos fizeram parte da alta administração da CAPAF, até serem sumariamente defenestrados, com todas as honras de estilo, dos Conselhos Superiores da CAPAF. Será que eles também vão expor suas ações e omissões nos Colegiados ou vão se limitar a falar mal dos demais Conselheiros e Diretores, antigos companheiros de labuta.

Já o Sr. Silvio Kanner parece que está mais preocupado (e enrolado) com o seu próprio futuro político do que com o futuro dos participantes e assistidos da CAPAF.

Em recente “post” solicitamos que o ex-Conselheiro “Rolando Lero” se manifestasse, de forma objetiva, se é contra ou a favor da intervenção na CAPAF. Após ler e reler seu último lexitômico e rupinóico e-mail, não encontramos resposta. Vamos torcer para que ele responda à pergunta nesse Seminário. Basta dizer: sim ou não.

Adiada para quinta-feira decisão sobre pedido de cassação do prefeito Duciomar Costa

O Tribunal Regional Eleitoral suspendeu, na manhã de hoje (29) o julgamento de recurso contra a expedição de diploma ao prefeito e vice de Belém, Duciomar Costa e Anivaldo Vale, que ganharam a eleição de 2008. O recurso foi impetrado pela Coligação Majoritária Melhor Pra Belém, que apoiou o candidato do PMDB naquele pleito, o hoje deputado federal José Priante. O juiz André Bassalo pediu vista dos autos.

Em seu voto, o relator do recurso, juiz federal Antônio Carlos Almeida Campelo, manifestou-se por sua improcedência, refutando a alegação de que, na campanha de 2008, Duciomar teria desrespeitado a legislação eleitoral, veiculando propaganda para promoção pessoal em placas de obras que sequer teriam sido iniciadas ou concluídas, além de banners afixados em vários pontos da cidade.

A propaganda, considerou o magistrado, teve o caráter meramente informativo ou educativo, atendendo ao dever da administração de dar conhecimento à população sobre o que está fazendo. Ele não viu configurados, dessa forma, nem abuso de poder político, nem abuso de poder econômico, nem qualquer outra conduta que induzisse à captação ilícita de votos.

A juiza revisora, Ezilda Pastana Mutran, ponderou que a Corte deveria refletir sobre a potencialidade da propaganda veiculada pela prefeitura de influenciar no resultado do pleito. Mas se mostrou convencida, preliminarmente, de que o prefeito infringiu frontalmente a legislação eleitoral, conforme reconhecido em decisões anteriores da própria Justiça Eleitoral.

André Bassalo discordou do relator, considerando as provas robustas, fartas, consistentes em demonstrar os abusos de poder político e econômico cometidos pelo prefeito. Nas expressões do juiz, "houve multiplicidade de engenhos eleitorais" postos em prática irregularmente pelo prefeito. Ele pediu vista dos autos para verificar a potencialidade das condutas em relação ao resultado do feito, conforme fora ponderado pela juíza Ezilda Mutran. Os demais membros da Corte - Leonardo Tavares, Rubens Leão e Vera Araújo - preferiram aguardar o voto-vista, a ser apresentado possivelmente na sessão da próxima quinta-feira, para que possam manifestar seus próprios votos.

Ronaldo aceita convite de Teixeira e assume o Comitê da Copa de 2014

Ronaldo será o novo homem forte do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014 (COL). O Fenômeno aceitou o convite de Ricardo Teixeira na noite de segunda-feira e vai repetir os feitos do francês Michel Platini e do alemão Franz Beckenbauer, que comandaram a organização do Mundial em 1998 e 2006.

O ex-camisa 9 se reunirá com Teixeira na quarta para finalizar os detalhes e será anunciado oficialmente na quinta. Uma entrevista coletiva já está sendo marcada em um hotel da Zona Sul do Rio de Janeiro, às 11h (de Brasília), e o nome do cargo do Fenômeno será revelado.

Na segunda, outros campeões mundiais aprovaram o nome de Ronaldo como presidente do COL, depois que a notícia do convite de Teixeira ao Fenômeno ter sido publicada pelo jornal "O Globo". Para o ex-lateral-direito Cafu, companheiro do ex-camisa 9 na conquista do penta em 2002, o maior artilheiro das Copas está preparado para a função: - Aprovo e acho que ele pode fazer um bom trabalho. Há tanta gente que preside algo ligado ao esporte sem ter sido atleta ou sem entender muito. Ronaldo tem a empresa dele, então já tem a prática na administração. O comando, ele pega com o tempo - disse Cafu.

Zagallo, técnico de Ronaldo na Copa do Mundo de 1998, também concordou com a escolha: - A experiência, ele já tem. E acho que tem condições, sim, de ser um bom executivo - afirmou.

Segundo o jornal "O Globo" de sábado, a iniciativa de Teixeira se deu por conta das acusações que tem sofrido nos últimos meses.

Governo do Pará entrega sistema de abastecimento de água em Tailândia

Jatene entrega oficialmente o novo sistema de água no distrito de Palmares, sob as vistas do secretário Márcio Spíndola (Seidurb), do deputado Manoel Pioneiro e do prefeito de Tailândia, Gilberto Sufredini.
Moradores das vilas de Turiaçu e Palmares, do município de Tailândia, nordeste do Pará, já dispõem de moderno sistema de captação e distribuição de água, inaugurado na tarde de sábado (26) pelo governador Simão Jatene, que estava acompanhado do secretário Especial de Estado de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa; do secretário Especial de Estado de Promoção Social, Nilson Pinto, do secretário executivo Márcio Spíndola (Seidurb) , do presidente da Assembleia Legislativa, Manoel Pioneiro, e de outros parlamentares estaduais e municipais.

Iniciadas em 2009, as obras de ampliação do sistema de abastecimento de água em Tailândia estavam paralisadas e foram retomadas neste ano, em ritmo febril. Os investimentos somam R$ 9,1 milhões, sendo R$ 3,6 milhões destinados à sede municipal e R$ 5,3 milhões de investimentos nas vilas, explicou o secretário de Estado de Integração Regional, Desenvolvimento Urbano e Metropolitano, Márcio Spíndola.- Esse é o tipo de investimento relevante para a sociedade, e faz parte do plano de inclusão social deste governo. Além disso, a continuação dessas obras é um resgate da promessa do governador de não deixar nenhuma obra inacabada, e assim foi feito”, afirmou o secretário.

Alter do Chão, merecidamente, na mídia nacional

Na edição de ontem (28), em seu caderno Boa Viagem, o jornal O Globo, de circulação nacional, publicou uma excelente reportagem sobre Alter do Chão. Abaixo, alguns trechos da matéria.

Não é à toa que a vila de Alter do Chão, a cerca de 35 quilômetros de Santarém, no Pará, é conhecida como o “Caribe amazônico”. O local é sucesso inclusive em publicações internacionais — já tendo sido citado pelo “The Guardian”, entre as melhores praias do Brasil. O Rio Tapajós é de um azul cristalino, a água é morna e a areia, branca. E sem mosquitos a incomodar, devido à acidez da água, resta aos visitantes relaxar em suas praias, passear de barco e, para quem quiser, explorar a Floresta Nacional do Tapajós, fazendo uma trilha, tomando banho de igarapé e conhecendo a realidade de uma comunidade ribeirinha.

Diante da imensidão do Tapajós, às vezes é difícil acreditar que estamos num rio. Em alguns trechos, ele chega a ter impressionantes 18 quilômetros de largura. Em Alter, a praia que faz mais sucesso é a Ilha do Amor, localizada bem em frente à vila e seu cartão-postal. A travessia é feita em barquinhos a remo, leva cerca de cinco minutos e custa R$ 3. No mês de novembro as águas baixam ainda mais e é possível chegar lá a pé.

A Praia do Cajueiro também encanta os visitantes, e fica a dez minutos a pé do centro da vila. Nas duas há barracas que servem bolinho de piracuí (farinha feita de peixe seco socado no pilão), iscas de peixe e tucunaré na chapa.

Entre os passeios de barco, há o Lago Verde, que inclui passagem por igapós (áreas de floresta amazônica alagada); a praia de Ponta das Pedras, com formações rochosas; e a Ponta do Cururu, onde você verá um lindo pôr do sol e, com sorte, botos. Prepare-se para tomar um banho mesmo no barco, na ida ou na volta de Ponta das Pedras, dependendo da direção do vento.

Leia a íntegra da matéria clicando AQUI.

Globais gravam vídeo de protesto contra Belo Monte


Artistas globais gravaram um vídeo (confira acima) de protesto contra a construção da usina de Belo Monte, no rio Xingu (PA). No vídeo, atores como Juliana Paes, Cissa Guimarães, Eriberto Leão, Bruno Mazzeo, Marcos Palmeira e Maitê Proença, entre outros, questionam a viabilidade da usina.

Eles participam de um movimento chamado "Gota D'Água", que se propõe a "mostrar que o bem é um bom negócio e envolver a sociedade brasileira na discussão de grandes causas que impactam o nosso país".

"A primeira campanha do movimento discute o planejamento energético do país pela análise do projeto da hidrelétrica de Belo Monte, a mais polêmica obra do PAC. O braço técnico desta campanha é formado por especialistas ligados a duas organizações de reconhecida importância para a causa: 'Movimento Xingu Vivo Para Sempre' e o 'Movimento Humanos Direitos'", informa nota no site do movimento.

A obra de Belo Monte tem custo estimado em R$ 26 bilhões. Uma das críticas à nova hidrelétrica é que ela não irá operar na capacidade máxima, visto que, durante o período de seca, a baixa vazão do rio Xingu irá obrigar a redução na geração de energia.

Além disso, duas terras indígenas --Paquiçamba e Arara da Volta Grande do Xingu-- ficam no trecho do rio Xingu que terá sua vazão reduzida por causa da barragem. Como os índios dependem do rio para alimentação e transporte, o modo de vida tradicional dessas populações está ameaçado pela usina. (Folha Online)

Leia, também, >Estudantes parodiam globais em vídeo pró-Belo Monte

Estudantes parodiam globais em vídeo pró-Belo Monte


Alunos de engenharia civil e economia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), defensores da construção da usina de Belo Monte no rio Xingu (PA), produziram vídeo em resposta ao projeto "Gota D'Água", que reúne atores da TV Globo numa campanha contra a instalação da hidrelétrica.

No vídeo, os estudantes usam roteiro semelhante ao utilizado na gravação dos artistas. O grupo criou ainda o movimento "Tempestade em Copo D'Água", uma sátira a campanha original.

Sobre o alagamento de área verde para a instalação da usina, os alunos argumentam que a "floresta já vem sendo desmatada ilegalmente na Amazônia a troco de nenhum ganho econômico e social". Eles defendem ainda o "emprego de recursos gerados pela usina em benefícios para a região".

Para Sebastião de Amorim, professor da Unicamp que participa do vídeo, "Belo Monte será um belíssimo projeto sobre os aspectos econômico, social e ambiental".

Veja, acima, o vídeo da sátira.

Carreiras de risco terão aposentadoria especial

Para aprovar o novo modelo de previdência do servidor público, o governo Dilma Rousseff cedeu à pressão de partidos aliados e aceitará a criação de uma aposentadoria especial para servidores cujas funções coloquem em risco sua saúde.

Entram na definição policiais federais, rodoviários federais e médicos que trabalhem em regiões de fronteira, entre outras atividades. Não há estimativa de quantos são esses servidores, mas só a PF tem 14 mil agentes.

A medida, feita a pedido do PT e do PDT, constará no relatório final do projeto de lei que cria o novo modelo previdenciário.

Maior aposta para acabar, a médio e longo prazo, com o déficit da Previdência, a proposta tramita na Câmara desde 2007 e deve ser votada pelos deputados até o final deste ano. (Folha Online)

A aproximação de 2012 perturba o sono dos mensaleiros: Vem aí o BBB da Bandidagem

No blog de Augusto Nunes, colunista da revista Veja:

Em outubro de 2005, ao festejar o 50° aniversário no sítio em Goiás, o fora-da-lei Delúbio Soares (foto) presenteou-se com uma previsão debochada: “No futuro, o mensalão vai virar piada de salão”. Por enquanto, a profecia não se confirmou: o escândalo que escancarou a alma sombria do governo Lula desembocou no processo que será julgado no próximo semestre pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. E pode dar cadeia, começa enfim a desconfiar “nosso Delúbio”, como costumava referir-se Lula ao companheiro ladrão.

Neste sábado, numa reunião com 40 sindicalistas em Brasília, o ex-tesoureiro do PT preferiu qualificar de “boato” o colossal balaio de maracutaias que, passados seis anos, já deveria ter virado anedota. Delúbio, em sua essência, não mudou: o cinismo repulsivo, o vocabulário cafajeste, a compulsão para a mentira e outros traços abjetos seguem confirmando que certos defeitos de fabricação não têm conserto. Mas o sumiço do sorriso desdenhoso e a multiplicação de vincos no rosto indicam que o gerente da roubalheira imensa já não se acha condenado à perpétua impunidade.

“Esse julgamento será o maior espetáculo midiático do Brasil”, previu Delúbio no fim de semana. Desta vez, o delinquente enquadrado por formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro acertou. Por mais de dois meses, uma cadeia gigantesca composta por emissoras de rádio e TV, jornais, revistas, sites e blogs vai transmitir ao vivo uma espécie de Big Brother Brasil da Bandidagem, primeiro reality show inspirado na corrupção engravatada. Os advogados dos mensaleiros tornarão a recitar que o mensalão não existiu. Serão confrontados com as incontáveis provas dos muitos crimes cometidos pela quadrilha.

O destino dos participantes será decidido pelos ministros. Mas os juízes votarão vigiados por milhões de testemunhas que saberão o que fez e o que merece cada personagem. Só se viu algo parecido em julho e agosto de 2005, quando as sessões da CPI do Mensalão alcançaram índices de audiência de novela da Globo. O país foi apresentado à face horrível da Era Lula, a popularidade do presidente desceu a temperaturas siberianas e o governo só escapou do naufrágio porque a oposição oficial decidiu socorrer a federação dos corruptos.

Como ocorreu há seis anos, o BBB da Bandidagem também vai começar sem roteiro definido. É impossível adivinhar o desfecho. Delúbio e o resto dos mensaleiros têm motivos para perder o sono. Ficarão muito mais inquietos se os brasileiros decentes abrirem os olhos imediatamente e enxergarem com nitidez o calendário político até agora subvertido pelo Planalto. Com a cumplicidade dos jornalistas federais, os réus e seus padrinhos fazem de conta que 2012 será o ano das eleições municipais. Mais uma vigarice: o que vem aí é o ano do julgamento do mensalão.

As urnas poderão melhorar ou piorar a vida de uma cidade. Só isso. As togas dirão se a lei vale para todos, se ainda há juízes no Supremo e se o Brasil tem jeito ou perdeu de vez a vergonha.

Bispo "importa" índios

Em ação incentivada por um bispo Aldo Mogiano, índios de diversos países sul-americanos estão sendo levados para a reserva Raposa Serra do Sol, no Estado de Roraima, para fazer número e dar ideia de “ocupação”. A região, grande produtora de arroz, foi transformada em nova fronteira de fome, desemprego e alcoolismo, depois que os agricultores foram expulsos por decisão do Supremo Tribunal Federal.

Índios estrangeiros sempre foram levados a ocupar áreas reivindicadas para demarcação, mas eles eram arregimentados apenas na Guiana. O tal bispo Mogiano criou no passado uma “Aldeia da Demarcação”. Os índios importados se articulam em novas “nações independentes”.

Protegidos pela Funai, índios estrangeiros usufruem de assistência de dentistas, médicos, remédios e até avião para emergências médicas. (No blog do Claudio Humberto)

NEO-SEPARATISMO: A DIVISÃO DO AFUÁ

Surfando na pororoca
da divisão do Pará,
os caboclos ribeirinhos
pegaram corda por lá
e avivaram sonho antigo
que agora em versos lhes digo:
a divisão do Afuá.

A turma pró-divisão
chegou pronta pra bater
usando o velho argumento:
“Dividir para crescer!”
E, nesse hilário teatro,
em vez de um, seriam quatro
municípios, a saber:

Na campanha eletrizante
feito peixe poraquê,
cada parte caprichava
no tro-ló-ló, tre-le-lê.
E essa divisão patética
seria na ordem alfabética:
AfuÁ, B, C e D.

O Afuá remanescente
seria das bicicletas,
no Afubê , só Jet-skis,
no Afucê , motocicletas.
No Afudê... Oh! Deus do céu,
deu-se o maior escarcéu
com piadas indiscretas.

O padre, no seu sermão,
conclamou filhos e pais,
mostrando, nesse processo,
perdas e danos morais
e afirmava, sem desdém:
– Até Afucê, tudo bem,
mas Afudê, já é demais!

E nesse chove-não-molha,
deu-se o maior bafafá
entre os neo-separatistas
e os puritanos de lá
que incitavam a multidão
e bradavam: – Não e não!
Ninguém divide o Afuá!!!
(Autor: Antonio Juraci Siqueira
caboclo afuaense juramentado.)

Dilma inicia privatização de aeroportos com foco em 2014

A presidente Dilma Rousseff esteve, ontem (28), no Rio Grande do Norte, onde deu início a privatização dos aeroportos brasileiros o que, segundo a presidente, significa uma nova etapa do desenvolvimento do país.

Ela presidiu a solenidade de concessão à iniciativa privada da construção e exploração do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, cidade localizada a 28 Km de Natal, cujo aeroporto teve a construção iniciada em 1997 pelo governo federal e até hoje só tem a pista de pouso que, de acordo com a presidente, é uma das melhores do Brasil.

O aeroporto deve ficar pronto até 2014 e será construído e explorado pelo Consórcio Inframérica, formado pelas empresas Engevix e Corporación América, que venceu o leilão. A presidente disse que o novo aeroporto abrirá as “fronteiras logísticas” do Brasil:

- De 2003 até 2014, o número de embarques nacionais e internacionais será triplicado no Brasil graças a ascensão da classe média. (O Globo)

Sead divulga cronograma de pagamento de dezembro e 13º

A Secretaria de Estado de Administração do Governo ndo Pará (Sead) divulgou ontem (28) os cronogramas de pagamento do 13º salário e do salário de dezembro dos mais de 100 mil servidores públicos estaduais. O pagamento do 13º começará no próximo dia 12 (segunda-feira), beneficiando os inativos militares e pensionistas (civis e militares) e prossegue até o dia 16 (sexta-feira), com os servidores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), da capital e do interior.

Os salários referentes ao mês de dezembro começarão a ser pagos antes do Natal. Já no dia 22 (quinta-feira) serão pagos os inativos militares e pensionistas civis e militares. O cronograma será encerrado no dia 28 (quarta-feira), com os servidores da Seduc.

Abaixo, os cronogramas de pagamento:

13° SALÁRIO

12/12 (segunda-feira) - inativos militares e pensionistas civis e militares

13/12 (terça-feira) - inativos civis e pensões especiais/Sead

14/12 (quarta-feira) - Auditoria, Casa Civil, Casa Militar, Consultoria Geral, Defensoria, Gabinete da Vice-governadoria, Procuradoria Geral, NAF, Secretarias Especiais, Sepaq, Secti, Sead, Sefa, Sepof, Sagri, Sema, Secult, Seidurb, Seel, Seicom, Sejudh, Seop, Sespa, Seter, Seas, Setran e Secom

15/12 (quinta-feira) – Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Segup, Adepará, Arcon, Asipag, CDI, Ceasa, Cohab, CPC “Renato Chaves”, Detran, EGPA, Emater, FCG, FCPTN, FCV, Fasepa, Funtelpa, Fapespa, Hospital de Clínicas, Hospital Ophir Loyola, Fundação Hemopa, IAP, Imep, Iasep, Igeprev, IOE, Iterpa, Jucepa, Paratur, Prodepa, Fundação Santa Casa, Susipe, Uepa, Ideflor, Idesp e Loterpa

16/12 (sexta-feira) – Seduc – capital e interior

SALÁRIO DE DEZEMBRO

22/12 (quinta-feira) - inativos militares e pensionistas civis e militares

23/12 (sexta-feira) - inativos civis e pensões especiais/Sead

26/12 - (segunda-feira) - Auditoria, Casa Civil, Casa Militar, Consultoria Geral, Defensoria, Gabinete da Vice-governadoria, Procuradoria Geral, NAF, Secretarias Especiais, Sepaq, Secti, Sead, Sefa, Sepof, Sagri, Sema, Secult, Seidurb, Seel, Seicom, Sejudh, Seop, Sespa, Seter, Seas, Setran e Secom

27/12 (terça-feira) - Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Segup, Adepará, Arcon, Asipag, CDI, Ceasa, Cohab, CPC “Renato Chaves”, Detran, EGPA, Emater, FCG, FCPTN, FCV, Fasepa, Funtelpa, Fapespa, Hospital de Clínicas, Hospital Ophir Loyola, Fundação Hemopa, IAP, Imep, Iasep, Igeprev, IOE, Iterpa, Jucepa, Paratur, Prodepa, Fundação Santa Casa, Susipe, Uepa, Ideflor, Idesp e Loterpa

28/12 (quarta-feira) - Seduc – capital e interior

Divisão pode criar três estados deficitários, diz Ipea

Estudos apresentados ontem (28) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostram que, em caso de separação do Pará em três estados, no plebiscito que se realizará no dia 11 de dezembro, todos eles nascerão deficitários. Enquanto o Pará registra atualmente um superávit anual de aproximadamente R$ 300 milhões, subtraindo suas despesas da receita orçamentária, Carajás terá déficit de pelo menos R$ 1 bilhão anual, Tapajós, de R$ 864 milhões, e o Pará remanescente, de R$ 850 milhões.

De acordo com pesquisa semelhante feita pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp), os déficits podem ser maiores, dependendo dos investimentos necessários em infraestrutura. Isso poderia levar a desequilíbrios financeiros e implicações para infraestrutura, equipamentos públicos e outros investimentos.

Para a técnica do Idesp Lúcia Andrade, mesmo que o estado não seja separado, as discussões e pesquisas realizadas recentemente indicam e poderão levar a “um novo modelo de desenvolvimento”, que possibilite uma descentralização dos investimentos e das decisões de governo.

O coordenador do Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará (Ufpa), Gilberto Rocha, considera que a população paraense teve pouco tempo para discutir sobre seu futuro. Além disso, ele ressalta que 66% do território do estado são compostos de terras federais, incluindo unidades de conservação, assentamentos, áreas indígenas, onde o governo estadual não tem autonomia.

Tanto Rocha quanto Lúcia Andrade disseram esperar que, apesar do tempo reduzido para as discussões e pesquisas sobre a divisão, a metodologia usada para estudar as consequências da divisão do Pará sirva para outros casos no futuro. Atualmente, existem 23 projetos de divisão de regiões tramitando no Congresso Nacional, mais do que na época da Constituinte, em 1988, quando eram 17, segundo os pesquisadores.

No plebiscito do dia 11, sobre a divisão do estado, os eleitores do Pará responderão a duas perguntas: a primeira, se eles são a favor ou contra a criação do estado do Tapajós. Em seguida, os paraenses responderão se são favoráveis ou não à criação do estado de Carajás. A ordem das perguntas foi definida em sorteio, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O voto é obrigatório para quem tem título de eleitor do Pará, e os que estiverem fora do domicílio eleitoral têm o prazo de 60 dias para justificar a ausência. (Portal ORM)

Polícia prende time de futebol que apostava óxi

Uma operação comandada pelo delegado Eder Mauro em parceria com o delegado Pery e homens da Ronda Tática Metropolitana (ROTAM), apreendeu no inicio da tarde de segunda-feira (28), 18 petecas de óxi. A droga foi encontrada próximo a feira do açaí, na Cidade Velha, com um grupo de 22 pessoas, que se preparava para uma partida de futebol do outro lado da Baía do Guajará. De acordo com a polícia, o jogo seria com uma quadrilha de um traficante conhecido como Milson, e as drogas seriam o objeto da aposta.

“Nós chegamos até o bando através de uma denúncia anônima que relatou que o grupo é acostumado a fazer partidas de futebol apostando cocaína e pedra de óxi. Segundo informações que nós levantamos, esse jogo ocorre toda segunda-feira. Lá a aposta de times é entre traficantes”, relatou o capitão Firmino, da Rotam. (DOL)

Novo emprego de Ellen Gracie

Quemconta é Giba Um:
A ex-ministra do Supremo Tribunal Federal, Ellen Gracie, está morando no Rio de Janeiro e já tem emprego novo. O bilionário Eike Batista chamou-a para integrar o conselho da EBX, holding de suas empresas. Ellen vai ganhar de R$ 50 mil mensais, quase o dobro que recebia no Supremo.
E mais:
Controle da mídia
“Lamento que não tenha no Brasil um jornal também de esquerda, que seja a favor do governo, que todos os países têm. Não tem porque os proprietários dos jornais são contra nós. Foram a favor do golpe de 1964, a favor de governo de direita, elegeram o Collor e o Jânio Quadros. Fizeram campanha contra nós, o PT, contra o governo, o presidente Lula, o CUT e o MST”. Era José Dirceu fazendo sua palestra no Seminário Nacional por um Marco Regulatório para as Comunicações, promovido pelo PT em São Paulo. Nove entre dez historiadores brasileiros torcem o nariz: sabem que não foi e nem é nada desse jeito.
Casa empacada
O programa Minha Casa, Minha Vida, uma das principais bandeiras da campanha eleitoral da presidente Dilma Rousseff, literalmente, não emplacou. Neste ano, o programa havia desembolsado R$ 5,6 bilhões dos quais apenas R$ 8,5 milhões (0,07%) alocados em despesas executadas neste exercício. O restante dos recursos foi usado sob a rubrica restos a pagar, compromissos assumidos nos últimos anos do governo Lula – e não pagos. A previsão inicial era que R$ 12,6 bilhões fossem pagos no programa em 2011.
Burros e ingratos
No primeiro texto intitulado A burrice e a política, publicado em blog criado para melhorar sua imagem, o senador José Sarney chama de “idiotas, burros, invejosos, injustos e ingratos” todos os que criticaram a decisão de sua filha Roseana, governadora do Maranhão, de incluir na conta dos contribuintes gastos da fundação que leva seu nome, em São Luiz. Adiante, diz que, quando doou ao povo do Maranhão, seu valioso arquivo com mais de um milhão de documentos, “estava efetivando uma das maiores obras de amor e benemerência”. E lembrou Sartre: “Quem mexe com política está sempre com a mão na m...”
Posse da vizinha
A presidente Dilma Rousseff irá à cerimônia de posse do segundo mandato de Cristina Kirchner, dia 10 de dezembro, em Bueno Aires. Cristina não veio ao Brasil para a posse de Dilma: na época, alegou que ainda atravessava período de luto porque Nestor Kirchner morrera em outubro do ano passado e ela preferiu passar o Ano Novo em família. Dilma acha que não há espaço para esse tipo de ressentimento ainda mais na política internacional.
Candinha 2011
A fama de fofoqueiro de Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência, continua aumentando no governo e até ganhando novas alternativas de apelidos. Uma das ministras ligadas a Dilma Rousseff não deixa por menos e se refere a Gilbertinho como Candinha, figura imaginária das rádios e revistas dos anos 50 e 60, que sabia de tudo sobre os artistas da época. Outra prefere rotular Carvalho de “Nelson Rubens do Planalto”. É aquele conhecido jornalista especializado em fofocas de revistas de famosos e do TV Fama, da Rede TV!, cujo bordão é “Eu aumento, mas não invento”.
Operação-rodízio
A presidente Dilma Rousseff não pretende apenas reformar seu ministério em janeiro: ela estuda também um processo de rodízio no comando das Pastas, para tentar acabar com os feudos dos partidos na máquina pública. Esse tipo de estratégia, além de ser um instrumento para impedir irregularidades na Esplanada dos Ministérios e outros órgãos federais, poderia promover também o maior equilíbrio entre as forças políticas que integram a base aliada e ao mesmo tempo, fazer com que o Planalto não fique na dependência de grupos político-partidários. Mais: guardados sob sete chaves estão também planos de enxugamento dos atuais 38 ministérios – e não atingindo apenas três secretarias que serão reunidas no futuro Ministério dos Direitos Humanos.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Capafeano, não deixe de participar, sua presença é importante.

Campanha do 77 (SIM) pede ajuda à Padroeira de Santarém

Foto: site No Tapajós

Galeria de Amigos: Casal Helcio e Rosinete Amaral

Helcio, obidense e excelente historiador e a esposa, professora Rosinete, na orla de Santarém após saudável caminhada matinal.

Carreata do SIM em Belém pela segunda vez

Adeptos da campanha do voto SIM pela divisão do Pará realizaram ontem (27) uma carreata pelas ruas de Belém, com muita animação como mostra a foto.

Fiéis pedem paz à padroeira em Icoaraci

Fiéis pedem paz à padroeira em Icoaraci (Foto: Ney Marcondes)
“Queremos paz em Icoaraci, chega de violência. Haverá um dia que todos conseguiremos ver paz e nossas famílias tranquilas em nosso distrito. O senhor nos deu a paz, basta que preparemos nosso coração”. A faixa, colocada no caminho da procissão do 59º Círio de Nossa Senhora das Graças, realizada ontem (27) no distrito de Icoaraci, exibia a união dos católicos pedindo a intercessão divina num local ainda marcado pela tragédia da última semana, quando seis jovens foram assassinados.

E a mobilização da comunidade foi feita com muita música e animação. Desde a saída da imagem da capela de São Sebastião, às 7h, em procissão até a Igreja Matriz, os devotos foram embalados por músicas animadas por três trios elétricos que louvavam a padroeira com alegria, dinamismo e carisma. Além disso, houve ainda as tradicionais homenagens com queimas de fogos ao longo do percurso da festividade, cujo tema deste ano é “Maria, mãe do verbo de Deus e mãe na fé”.

Apesar do mesmo clamor e fé que marcam as celebrações marianas, algumas peculiaridades estão presentes no Círio de Icoaraci. Diferente de outras imagens, Nossa Senhora das Graças não é vestida de manto, mas teve seu esplendor todo traduzido na berlinda, decorada com flores vermelhas e rosas. (DOL)

Quatro carreatas pela unidade do Pará

Quatro carreatas pela unidade do Pará (Foto: Ney Marcondes)

Unir diversos grupos, mobilizar toda a sociedade e manifestar a posição contrária à divisão do Estado. Esse foi o objetivo da manifestação realizada na manhã de domingo (27), em Belém, por organizadores das duas frentes contra a criação dos Estados do Tapajós e Carajás. No total, quatro carreatas, que saíram de distintos pontos da Região Metropolitana, levaram milhares de pessoas às ruas e deram mais ânimo ao plebiscito, marcado para 11 de dezembro.

Ganhando força e adeptos no decorrer do trajeto, as carreatas se encontraram por volta das 13h na Praça do Operário, em São Brás. Lá, tomado por bandeiras e faixas, o espaço ganhou as cores da bandeira paraense, vermelha e branca, para mostrar o desejo de manter o Estado unificado.

“Você pode estar insatisfeito com todos os políticos, governador, prefeito, vereador, mas em quatro anos você pode mudar a situação, com o seu voto. Mas se o Pará for divido não há como voltar atrás. Não haverá outro plebiscito”, explicou o deputado estadual Celso Sabino, presidente da Frente Contra Tapajós. (DOL)

Marqueteiro 'metido' na campanha pela divisão do Pará tem histórico duvidoso

Por Roberto Pompeu de Toledo, jornalista.

Caro amigo paraense, no dia 11 de dezembro você votará sim ou não à partição do Pará em três unidades. A proposta é que toda a metade oeste do atual Estado se transforme no Estado do Tapajós e a parte sudeste no de Carajás, continuando com o nome de Pará a região onde fica Belém e um pouco mais. Essa história de criação de novos Estados, como você bem sabe, é controvertida. Chovem argumentos por todo lado, todos altamente especulativos e por isso altamente discutíveis. O que escapa à controvérsia é que se trata de ótimo negócio para os políticos, dada a orgia de novas instituições a criar, de novos cargos a preencher e de dinheiro a gastar. Tudo isso você sabe.

O objetivo destas maltraçadas é falar de um personagem que depois de muitas peripécias, Brasil afora, agora aportou por aí, metido na campanha do plebiscito. O nome dele é Duda Mendonça. Gentilmente ele ofereceu seus serviços à causa separatista, ele que, se não vive no Estado, pelo menos tem bois que vivem, na fazenda de sua propriedade no território candidato a virar Carajás. Oferta aceita, e ei-lo no comando da campanha do sim.

Todo mundo o conhece. Sabe de seus triunfos eleitorais, como mago do marketing, bem como do lado menos aprazível de réu no processo do mensalão. Já o que ele andou aprontando em eleições de São Paulo o amigo paraense não deve saber. Permita um breve relato. Na eleição de 1996 para a prefeitura de São Paulo, Duda Mendonça fez o marketing do candidato Celso Pitta. Quatro anos antes ele fizera o do mentor de Pitta, Paulo Maluf. Pitta era um político desconhecido. O marqueteiro julgou que a campanha necessitava de alguma pirotecnia. Saiu-se então com um trem voador, um mágico bólido que, suspenso em via elevadas, catapultaria a cidade para um serviço de transporte até então só acessível à família Jetson. Nas animações para a propaganda na TV, ficou uma beleza. Para transformá-la em realidade o custo seria assombroso, a logística complicada, a utilidade discutível, mas e daí? Importava ganhar a eleição. Celso Pitta ganhou.

E agora? Se ganhou embalado pelo trem, impunha-se fazê-lo. O novo prefeito começou a plantar vigorosos pilotis, alto de 15 metros, ao longo do rio mais central da cidade, o Tamanduateí. Sobre eles seria construída a via ao longo da qual correria a engenhoca.

Algumas centenas de milhões de reais foram investidos na obra, e ficou-se nisso. Pitta não passou dos pilotis iniciais. Lá ficaram eles, abobalhados e inúteis - um pressuposto de obra de engenharia tornado ruína no nascedouro. A sucessora de Pitta, Marta Suplicy, pensou no que fazer daquilo, pensou, pensou, e nada fez.

O sucessor de Marta, José Serra, chegou a cogitar em destruir os pilotis. Depois pensou melhor, e resolveu aproveitar pelo menos os já existentes. A obra foi inaugurada já na administração Gilberto Kassab, não mais como via de trens, mas como simples corredor suspenso de ônibus.

O amigo paraense não precisa conhecer todos os detalhes do sinistro episódio. A intenção é alertá-lo sobre o alcance que pode atingir uma marquetagem irresponsável - e a palavra "irresponsável" vai aqui no sentido puro de qualificar um agente que não responde por seus atos. O marqueteiro não foi eleito. Não tem função pública. Portanto, não lhe cabe responder por um ato da administração pública. E no entanto teve origem no capricho de um marqueteiro toda a sucessão de decisões e indecisões que resultou num corredor de ônibus suspenso, ao qual só se tem acesso subindo penosas escadas, desarticulado do geral do sistema de transportes urbanos, desestruturador da paisagem e na contramão do melhor urbanismo - que desaconselha vias aéreas pelas cicatrizes que impingem às cidades e pela deterioração que produzem no entorno.

Duda Mendonça já foi de Paulo Maluf a Lula. Se um marqueteiro deve manter a coerência política, é algo que escapa a este missivista. É curioso, em todo caso, lembrar que nos anos 1980 ele esteve à frente da campanha que se opunha a um projeto de divisão do Estado da Bahia. Um texto por ele composto, e que era lido por Maria Bethânia na TV, afirmava que dividir a Bahia era como separar o Jorge do Amado, o Dorival do Caymi, o Rui do Barbosa, o Gilberto do Gil. Já separar a Fafá do Belém, o Paulo Henrique do Ganso, o Billy do Blanco e o Jayme do Ovalle, isso pode.

Em São Paulo, ao arriscar-se no urbanismo, Duda Mendonça deixou sua marca indelével no ônibus pendurado à beira do rio. Agora se aventura na engenharia política e calca a mão pesada no mapa do Brasil. Leve isso em conta, amigo paraense.

*O artigo foi extraído da edição nº 2.245, de 30 de novembro, da revista "Veja" e publicado na edição de hoje (28) do jornal Amazônia, de Belém.

Nos abençoa Virgem Santa da Conceição

Ontem (27), em Santarém, antes da saída da procissão, foi rezada missa

CÍRIO DA CONCEIÇÃO
Música e letra: Vicente José Malheiros da Fonseca

Corda do Círio

Que puxa a Santa

Virgem Maria

Da Conceição

O promesseiro

Com muita fé

Acorda cedo

E vai à Missa

Caminha a pé.

De pé descalço

Paga a promessa

Quando a Berlinda

Da Conceição

Passa tão linda

Na procissão

Fica contrito

De mãos seguras

Em oração.

Lá vem a corda

Lá vem o Círio

Quanta emoção, ah!

Na multidão

Lá vem a Santa

Seu manto é luz

Nos abençoa

Virgem Maria

Mãe de Jesus.

domingo, 27 de novembro de 2011

Soja: Santarém perde impostos

Empresas que precisam do terminal graneleiro de Santarém para escoar a produção de soja decidiram correr atrás de alternativas. Instalações portuárias estão sendo erguidas em Itaituba e até no Porto de Santana, no Amapá, para permitir o embarque da produção. Empresários do setor dizem que esse recurso foi necessário por conta da demora dos órgãos estaduais em liberar a licença ambiental para o porto de Santarém, município que vai ficar no prejuízo. (Repórter 70 - O Liberal deste domingo)

Jatene poderá entrar de cabeça na campanha contra a divisão do Pará

Leia o que disse o governador Simão Jatene em entrevista concedida à jornalista Rita Soares e publicada no jornal Diário do Pará, edição deste domingo (27):

Diário: No domingo passado, o senhor divulgou artigo manifestando pela primeira vez, publicamente, sua posição sobre a divisão do Pará. Por que essa manifestação?
Jatene: Desde que se começou a discutir essa história, eu ponderei sempre algumas coisas. A primeira delas é que isso é uma coisa tão séria que tem que ser tratada com muita, mas muita responsabilidade, sem açodamento. O plebiscito é um instrumento fantástico de participação, mas o voto é tanto mais democrático quanto mais as pessoas souberem efetivamente sobre o que estão votando, sob pena de o voto acabar se constituindo elemento de chancela ou aval do desejo de grupos de interesse.
Diário: Não há informação suficiente sobre o assunto?
Jatene: Eu acho que essa é uma das questões mais sérias.
Diário: Então, por que se manifestar agora?
Jatene: Os programas foram seguindo uma escala de agressividade. Eu sempre disse que eu estava preocupado com o dia da eleição, do plebiscito, mas não poderia deixar de ter uma atenção especial com o dia seguinte. No rumo que a campanha tomou, teremos mágoas e ressentimentos. Seja qual for o resultado, vamos ter que ter estratégias e projetos de desenvolvimento. Não conheço experiência bem sucedida de desenvolvimento em que autoestima do povo não seja um combustível fundamental. A campanha vinha na direção de quase destruir essa autoestima.
Diário: O que o levou a se manifestar foi o tom dos programas eleitorais?
Jatene: Claro. Se minha preocupação, como governador, é com o dia da votação, mas, sobretudo, com o dia seguinte, tenho o dever de preservar a unidade do povo.
Diário: Mas se o objetivo da campanha do SIM é mostrar que dividir o Estado será melhor, não é natural mostrar que do jeito que está é ruim?
Jatene: Acho que você pode fazer propostas, indicar coisas, mas tendo compromisso com a verdade. Quer um exemplo claro? A história do FPE (Fundo de Participação dos Estados). Desafio que qualquer pessoa com compromisso com a verdade e bom senso possa dizer que depois de 2012 o FPE vai ser assim e assado. Existe uma determinação legal de que durante 2012 vamos ter que redefinir os critérios de distribuição. Como posso aceitar que se engane a população dizendo que vai crescer em R$ 3 bilhões? Isso não tem nenhum fundamento.
Diário: O senhor se sente pessoalmente atingido pelos programas eleitorais do SIM?
Jatene: De jeito nenhum.
Diário: Eles mostram um Estado arrasado...
Jatene: Essa não é uma questão pessoal. É uma questão de povo. O Pará está vivendo seu maior desafio. Estamos sendo cobaias. Um plebiscito que se define sem que antes se saiba quem irá votar... Isso só foi resolvido depois. Existem hoje mais de 20 projetos de redivisão. Precisamos pensar o que está por trás disso.
Diário: O senhor vai entrar de cabeça na campanha?
Jatene: O que me motivou (refere-se ao artigo) foram a agressão ao povo do Pará. Não posso, como governador, aceitar que a nossa gente seja tratada como um detalhe.
Diário: Repito, o senhor poderá entrar de cabeça na campanha?
Jatene: Não pensei sobre isso.
Diário: Se for preciso, se as pesquisas indicarem?
Jatene: Se houver agressão à nossa gente, eu não vou poder deixar de entrar. Terei necessariamente que participar da campanha do NÃO porque esse é o meu papel.
Diário: Aliados reclamaram...
Jatene: Não posso aceitar qualquer medida que possa provocar, contribuir, promover ou levar a que o debate sobre a divisão se transforme na divisão do povo.
Diário: O senhor foi acusado de ter feito promessa de se manter neutro e não ter cumprido...
Jatene: Se existe alguém que tem quase obsessiva preocupação com a coerência... Confesso que sou assim.
Diário: Mas fato é que o senhor disse que ia manter-se neutro...
Jatene: Não. Eu disse sempre que achava que não poderia contribuir para que a divisão levasse à ruptura de laços que a nossa tem. Na hora em que a campanha vem promovendo essa ruptura, não dizer nada é que seria incoerente.
(...)
Diário: O NÃO vai vencer?
Jatene: Prefiro não me manifestar. Quero só dizer que que continuo preocupado com o dia seguinte. Espero que as duas campanhas tenham maturidade e equilíbrio para mostrar pontos de vista sem agressões.

FELIZ CÍRIO!!!

Neste domingo (27), conduzida nos ombros do teu povo, contemplarás, mais uma vez, os recantos dessa Santarém que te ama. Verás, também, no semblante de cada católico, de cada romeiro, a ansiedade, a Fé inabalável em Ti, Virgem Santa, implorando a Tua proteção, a Tua ajuda.

Há necessidade, sim, Mãe imaculada, da Tua intercessão para que acabem os sofrimentos de milhares de pessoas que não dispõem das mínimas condições para viver com dignidade, que enfrentam problemas de toda ordem, sem emprego, sem renda, enfim, pobres até de esperanças de dias melhores.

Abençoa, Senhora da Conceição, as autoridades, as instituições e o povo desta "Santarém do meu coração/ terra mimosa, de paz e sonhos de amor/ do meu Tapajós azul/ azul como o céu".

==

AVE, MARIA! (de Paulo Rodrigues dos Santos)

Ave Maria! Lis de Bethléem,
Estrela d´Alva do Céu Cristão,
Ó Padroeira de Santarém.
Nossa Senhora da Conceição!

Flor da bondade, do Amor, do Bem,
Madona excelsa deste rincão,
Protege o povo de Santarém,
Senhora Nossa da Conceição.

Paz e alegria, de ti provém
Que nos apagam toda aflição,
Doce Rainha de Santarém,
Nossa Senhora da Conceição!

Toda a esperança de Ti nos vem,
Quando imploramos Tua proteção;
Defende e guarda Tua Santarém,
Nossa Senhora da Conceição!

Feliz bonança entre nós mantém
Do mal nos livra e da tentação,
Zela, piedosa, por Santarém,
Senhora Nossa da Conceição!

Ouve este povo que Te quer bem,
Que traz Teu nome no coração,
Santa Rainha de Santarém,
Nossa Senhora da Conceição!
(Foto: altar da Igreja Matriz de Santarém)